Quando a Lua se Põe

Julho 13 2009

Reactivo este blog com um poema, fresquinho. Sim, é um bocadinho "piroso", mas foi o que me saiu... (Ah, e não tem nome)

 

 

Cabelo a descair

Ombros imponentes

Teus lábios a rir

O frio que tu sentes.

 

Minhas pernas a arquear

Meus braços a fechar

Teu corpo junto ao meu

O maior amor que alguém jamais conheceu.

 

Calor no olhar

Sentimento nas mãos

O tempo a parar...

 

Trinta segundos sem fim

que passaram rápido demais

Quero-te novamente aqui.

Quero mais.

Não te vás embora.

Nunca.

Amo-te.

 

publicado por elrey às 21:53
Tags: ,

Porque quando a Lua se põe, tudo escurece e restam apenas ínfimos pontinhos brancos para nos iluminar. [Avisam-se os mais distraídos que todos os textos aqui publicados são pura ficção, incluindo os que se encontram na 1ª pessoa. Obrigado]
mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
Lua Counter
Free Web Counter
Free Counter
blogs SAPO